Hoje é 20 de outubro de 2021 as 23:56

62 3224-3488 / 3928-3488

contato@sinaae.com.br

Assembleia no Colégio Marista aprova o banco de horas

Assembleia no Colégio Marista aprova o banco de horas

1 de julho de 2016
|
0 Comentários
|

O Sinaae-GO promoveu na última quarta-feira (29), às 15 horas, no antiteatro do Colégio Marista de Goiânia, assembleia geral extraordinária com a presença de mais de cinquenta auxiliares administrativos para discutir, deliberar e votar a proposta de implantação do banco de horas, apresentada pela mantenedora do colégio, a Associação Brasileira de Educação e Cultura, sediada em Curitiba-Paraná.

O Sindicato deixou bem clara sua posição contrária ao banco de horas, tanto nas reuniões com o representante patronal, quanto aos integrantes da nossa base. Entendemos que os trabalhadores com salários mais baixo, são os mais prejudicados, já que ao trabalhar fora de seu horários normal, ele visa principalmente “engrossar” seu salário, em detrimento ao seu descanso e lazer junto aos seus familiares.

Mas nossa posição oficial contrária, não poderia sobrepor à vontade da categoria. Na assembleia, que contou com as presenças do presidente do Sinaae-GO, Carlos Roberto dos Passos e do Dr. Paulo Sérgio da Cunha, advogado do Sindicato, que fez um breve relato histórico do banco de horas, que foi instituído no governo de FHC, e fazia parte do plano inicial de flexibilização das leis trabalhistas, respondeu a todas as perguntas dos presentes. Após essa fase, o presidente colocou em votação e a maioria aprovou a proposta do Marista.

Temos plena consciência que o momento político-econômico pesou na decisão da maioria dos presentes na assembleia, o medo de perder o emprego foi fator determinante para a maioria. Prevendo essa possibilidade, o Sindicato, através de seu departamento jurídico, capitaneado pela vice-presidenta, Dra. Wânia Aparecida S. Lopes, e composto pelos advogados Dr. Fábio Fagundes e Dr. Paulo Sérgio, fizeram um minucioso estudo da proposta previamente a nós encaminhada, e propuseram alterações que resguardassem os direitos básicos dos trabalhadores, além de que, as horas em haver, seriam pagas, garantindo assim, uma transparência ao processo. Salientamos o propósito da Mantenedora em aprovar o banco de horas, pois acatou todas nossas propostas de alterações ao texto original, pois entendeu também, nossa preocupação em garantir os direitos dos nossos representados.

O Sinaae-GO, garantiu, junto à direção do Colégio Marista, através do seu representante, Sr. Fábio de Ávila, que iremos acompanhar todos o processo de implantação e implementação, assessorando os trabalhadores em todas as etapas.

autor: A Diretoria